Perda de peso durante o tratamento oncológico


A perda de peso indesejada durante o tratamento oncológico é um dos efeitos colaterais mais comuns e que mais afeta a qualidade de vida da pessoa diagnosticada com câncer. Cerca de 80% dessas pessoas apresentam perda de peso, sendo que 20% sofrem de algum grau de desnutrição. A desnutrição severa, conhecida como caquexia, pode levar à morte.

A perda de peso é decorrente de diferentes fatores, os principais envolvem o curso natural da enfermidade, pois o câncer é uma doença altamente catabólica, utilizando as reservas de carboidrato, proteínas e gordura do indivíduo para se nutrir, devido ao tipo do tumor o seu estágio e localização, devido também aos efeitos colaterais do tratamento que por muitas vezes afetam o paladar, diminuem o apetite e causam distúrbios gastrointestinais como vômitos e diarréias.

A diminuição do estado nutricional, ocasionada pela perda de peso, tem impacto direto na qualidade de vida da pessoa, mas também no sucesso do tratamento. O impacto no paciente é visto pelo aumento da ansiedade e depressão, diminuição no desempenho para realizar atividades do seu cotidiano, diminuição da capacidade para auto cuidado e dependência de terceiros. No tratamento, a perda de peso está diretamente relacionada ao aumento do tempo de internação, diminuição da imunidade, aumento da taxa de infecção, riscos de complicação no pós-operatório e diminuição da tolerância ao tratamento proposto.

É muito comum a dose do quimioterápico ter que ser reduzida ou o protocolo de tratamento precisar ser revisto devido a baixa tolerância do paciente as drogas propostas como consequência da perda de peso, tendo um impacto direto na eficácia do tratamento.

A boa notícia é que a perda de peso pode ser evitada ou minimizada quando condutas nutricionais adequadas são realizadas. O acompanhamento nutricional desde o início do tratamento é fundamental. Através de uma alimentação especializada para o tipo de tumor e tratamento, é possível modular o processo inflamatório da doença, garantir o aporte adequado de nutrientes, os quais estão relacionados com a manutenção de massa muscular, fortalecer o sistema imunológico, minimizar os efeitos colaterais e potencializar o tratamento a partir do consumo de alimentos cientificamente comprovados que agem positivamente no padrão inflamatório da doença e no crescimento tumoral.



Mousse de abacate com chocolate meio amargo

RECEITA:

Mousse de abacate com chocolate meio amargo

Ingredientes:

· 1 unidade de abacate

· 150g de chocolate meio amargo ou 60% cacau

· 1/3 de xícara de leite de coco

Modo de preparo:

· Levar ao micro-ondas o chocolate picado e o leite de coco no mesmo recipiente por 30 segundos ou o suficiente para que o chocolate amoleça. Misture bem até ficar um creme homogêneo.

· Bata no liquidificador este creme com a polpa do abacate por uns 3 minutos. Sirva gelado.


Aline Barreiros é Nutricionista Funcional especialista em Oncologia

CRN3: 41430

  • Facebook
  • Instagram

© Todos os direitos reservados - JORNAL TEMA

O Jornal Tema não se responsabiliza pelas matérias ou artigos assinados.
As opiniões não refletem, necessariamente, a opinião da diretoria deste jornal.

E-mail: jornaltema@gmail.com

Dúvidas e sugestões (13) 99116.0050 ou Redação (13) 3561.8382

Administrado pela ASSECOM Assessoria