Conheça a região da SALAMANCA

Atualizado: 29 de Mai de 2019



Uma cidade formosa, com um legado monumental e histórico relevante, bem cuidada e brilhante, sobretudo nas suas horas mágicas, o pôr do sol, o amanhecer, quando o sol converte a pedra de Villamayor em ouro. Uma cidade sábia, centro de saber e de conhecimento, com uma das universidades mais antigas da Europa e referência para as americanas. Uma cidade com personagens reais e fantásticas que a percorreram, a animaram, a sonharam e que ainda a habitam, Unamuno, Lope de Vega, Fray Luís, Francisco de Vitória, a Celestina, Colombo, Torrente Ballester, Martín Gaite, Villena, Torres Villarroel, Ignácio de Loyola ou Santa Teresa de Jesus. Mas, sobretudo, uma cidade viva, porque está imersa no exercício permanente de “construir-se” de novo, porque nas suas ruas sempre há gente, a qualquer hora do dia ou da noite, e está cheia de histórias para compartilhar.

Salamanca Cidade do Espanhol, milhares de estudantes escolhem Salamanca para aprender espanhol, convertendo a cidade num dos referentes mais importantes do turismo idiomático.

A sua condição de cidade viva, acolhedora e dinâmica, bonita e bem cuidada, fazem de Salamanca o lugar mais idôneo para a aquisição da Língua e Cultura Espanhola.

A tradição da sua Universidade, a mais antiga da Europa, fundada em 1218, e o prestígio dos seus centros de ensino do idioma, são algumas das razões pelas quais o estudante a escolhe.



Este Centro de Interpretação do Patrimônio histórico e urbano de Salamanca é o ponto de partida para conhecer de perto o patrimônio arquitetônico e monumental da área histórica da cidade, bem como os valores que outorgaram a Salamanca a declaração de Cidade Patrimônio da Humanidade por parte da UNESCO. O percurso baseia-se em recreações virtuais, infografia e outros elementos audiovisuais que refletem aproximadamente 140 edifícios e espaços urbanos.



O Monumenta Salmanticae é um espaço inovador, interativo e singular, de concepção minimalista, elegante e com extensos espaços abertos, que combina o caráter patrimonial do edifício com o conteúdo contemporâneo. Poucas cidades têm duas catedrais, mas Salamanca tem sim, uma nova, gótica, renascentista e barroca, que nasce e cresce a partir da outra, romântica e íntima, respeitando-a, mimando-a, fazendo-a mais formosa, se é possível. Do silêncio recolhido da Velha, nasce o desejo do diálogo com DEUS. Na grandiosidade da Nova, pensada para os grandes rituais, percebe-se a pequenez do homem e a complexidade do mundo. As catedrais são a espiritualidade, teísta ou não, o lugar para estarmos conosco, o sitio para se elevar e uma das chaves para entender sentido transcendente de uma cidade.


O sol que cura é uma das praças mais belas da Espanha e do mundo e um dos monumentos barrocos capitais da arquitetura peninsular. Foi e será o coração, o lugar de encontro, o que dá ordem ao caos que toda a urbe é. A ela chegam os infinitos caminhos e dela partem todos os percursos que se perdem nos labirintos urbanos. Os que passeiam, a contemplam, conversam nos seus alpendres ou se sentam nos seus cafés, sabem como ali o sol cura os males ou quase todos.


A noite faz sonhar

Há uma Salamanca noturna para passear entre os seus monumentos iluminados ou para sair à noite, outras maneiras de explorar a cidade. Existe uma grande variedade de zonas com bares, pubs e discotecas nos quais se pode desfrutar a noite. A maioria desses bares oferece uma cuidada decoração. A Gran Vía, o redor da rua Bordadores e São Justo, são as três áreas mais frequentadas por jovens e adultos que procuram na noite de Salamanca esse tipo de divertimento. O ambiente universitário, intercultural, torna a questão de sair como algo de caráter obrigatório.


Muito mais

A cada ano, Salamanca volta a inventar-se a si própria com um bom número de propostas que são herança ou inovação. Herança, sem dúvida atualizada, de uma experiência que nasce a partir da interpretação da cidade, e de uma cultura baseada na sobrevivência, na sustentabilidade. Mas também de inovação porque respondem tanto as novas demandas e sensibilidades das que o turismo se nutre, quanto a necessidade de abertura e crescimento que um destino como Salamanca tem.


As fotografias são de propriedade do Turismo de Salamanca/ES



  • Facebook
  • Instagram

© Todos os direitos reservados - JORNAL TEMA

O Jornal Tema não se responsabiliza pelas matérias ou artigos assinados.
As opiniões não refletem, necessariamente, a opinião da diretoria deste jornal.

E-mail: jornaltema@gmail.com

Dúvidas e sugestões (13) 99116.0050 ou Redação (13) 3561.8382

Administrado pela ASSECOM Assessoria