Casa da Esperança de Santos realiza último Bazar da Pechincha do ano



Evento oferece diversos produtos a partir de R$2,00.

Com o objetivo de custear mais de 5 mil procedimentos terapêuticos para crianças e adolescentes com deficiências físicas e intelectuais, a Casa da Esperança de Santos organiza, entre os dias 30 de setembro e 04 de outubro, o seu último Bazar da Pechincha de 2019.

Durante toda a semana, das 8h às 17 horas, no Salão de Eventos da Instituição (Rua Imperatriz Leopoldina nº 15, Ponta da Praia), serão vendidos roupas, calçados, acessórios, utensílios domésticos, livros e artigos populares com preços a partir de R$ 2,00.

O evento é organizado pelas voluntárias da Instituição, sob orientação do Núcleo do Promoção de Mães Dona Vanjú. A voluntária Áurea Busnardo destaca que “o Bazar da Pechincha colabora para aliviar o alto custo dos tratamentos oferecidos, porém não são recursos tão expressivos em relação ao que a Casa necessita hoje para manter seu conceituado padrão de atendimento. Mas permite que pessoas da comunidade exerçam o poder de servir, ou seja, por meio de doação de roupas, calçados, acessórios, utensílios domésticos e etc.”.

A Casa da Esperança de Santos completou 62 anos, em julho, e busca ampliar seus atendimentos para atender a necessidade da população na área da saúde. Atualmente ampliou os atendimentos ao recém-nascido de risco, que tem como objetivo promover a recuperação ou amenizar, o mais cedo possível, limitações no desenvolvimento neuropsicomotor de recém-nascidos, bebês e crianças de até 2 anos.


Programa de Intervenção Precoce ao Recém-Nato de Risco

O programa é dirigido pela neurologista infantil da Instituição, Maria Lúcia Leal dos Santos, que salienta o objetivo do projeto em prevenir sequelas, além de melhorar a qualidade de vida da criança e da família.

Bebês encaminhados à Unidade de Terapia Neonatal (UTIN), com peso inferior a 1.000 gramas correm riscos variáveis de desenvolverem paralisia cerebral, deficiência intelectual, deficiência visual e/ou auditiva, alterações comportamentais e transtorno psiquiátricos. Esses sintomas são identificados nos dois primeiros anos de vida.

O recém-nascido é acompanhado até seus 18 meses, quando não há alteração no Desenvolvimento Neuropsicomotor (DNPM). Caso o recém-nascido apresente quadro de Paralisia Cerebral ou alteração do DNPM é encaminhado para o tratamento multidisciplinar, com acompanhamento de fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais e psicólogos, integrando-se ao quadro de pacientes da Instituição.


Histórico

A Casa da Esperança de Santos é um Centro de Habilitação e Reabilitação que oferece mais de cinco mil procedimentos médico e terapêutico multidisciplinar gratuitamente, nas áreas de Fisioterapia, Terapia Ocupacional, Psicologia, Pedagogia, Fonoaudiologia, Odontologia e Integração Sensorial.

A instituição tem como principal receita (superior a 60%) doações feitas pela própria comunidade, expressas através das contribuições dos seus associados mensais e "Padrinhos-Esperança", além do Teledoações, Nota Fiscal Paulista e pela ajuda voluntária da sociedade em eventos beneficentes.

Para ajudar a Casa da Esperança de Santos, os interessados podem realizar doações através do site www.casadaesperancadesantos.org.br. Atualmente, a instituição conta com opções de doações recorrentes, via cartão de crédito, depósito bancário ou pelo teledoações (13) 3278-7801.


Contato:

Danielle Passos – Assessora de Imprensa

E-mail: comunicacao@casadaesperancasantos.org.br

Tel. (13) 3278-7818

Cel. (13) 99132-8788


  • Facebook
  • Instagram

© Todos os direitos reservados - JORNAL TEMA

O Jornal Tema não se responsabiliza pelas matérias ou artigos assinados.
As opiniões não refletem, necessariamente, a opinião da diretoria deste jornal.

E-mail: jornaltema@gmail.com

Dúvidas e sugestões (13) 99116.0050 ou Redação (13) 3561.8382

Administrado pela ASSECOM Assessoria